44 3252-1177

contato@oregionaljornal.com.br

Entidades pedem apoio a Embrapa para desenvolvimento de colheitadeira da mandioca:

A colheita da mandioca é predominantemente semimecanizada nos estados da região Centro Sul do Brasil, o que demanda muito trabalho manual, que é “penoso e de baixo rendimento”. Para o desenvolvimento da cadeia produtiva da raiz é necessário criar as condições e equipamentos para que o sistema de colheita possa ser integralmente mecanizado.



É o que assinala o documento entregue ao chefe da unidade de Mandioca e Fruticultura da Embrapa (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária), Alberto Duarte Vilarinhos, assinado pelos presidentes da ABAM (Associação Brasileira dos Produtores de Amido de Mandioca), Valter de Moura Carloto, ATIMOP (Associação Técnica das Indústrias de Mandioca), NiltoCerny, e do SIMP (Sindicato das Indústrias de Mandioca do Paraná), Guido Bankhardt. A entrega aconteceu na semana passada no estande da Embrapa no Show Rural Coopavel, em Cascavel, onde a empresa lançou uma nova variedade de mandioca, a BRS 420.



“É consenso em nosso setor que o desinteresse e o insucesso no desenvolvimento de equipamentos adequados à colheita é um sério entrave ao desenvolvimento, sustentabilidade e competitividade da mandiocultura”, registram os representantes das entidades subscritoras.



O documento assinala que, no que se refere às condições, diversas iniciativas já foram tomadas por entidades do setor – e houve avanços – estabelecendo sistemas de produção e a obtenção de variedades produtivas e adaptadas à colheita mecânica. “É necessário, porém, retomar arranjos para viabilizar uma colhedora de raízes de mandioca com o nível de desempenho dos equipamentos utilizados para outras culturas”, afirmam os presidentes.



No ofício, os representantes da ABAM, SIMP e ATIMOP pedem o apoio de Vilarinhos para “articular nas instâncias internas da Embrapa, os entendimento necessários à retomada de projetos em cooperação com o setor privado, buscando inovação aberta para o desenvolvimento e validação do conjunto que envolve a colhedora e os sistemas de produção ajustados ao uso da mecanização na colheita de raízes. Por isso sabemos que é importante mobilizar e motivar as unidades desta empresa que possam contribuir na empreitada, atuando em sinergia.”.



Questionado sobre o assunto, Vilarinhos disse que a variedade BRS 420 já tem “o que a gente chama de arquitetura de planta, que é uma estrutura física que facilita a colheita mecânica. É importante casar estas necessidades. As variedades não podem só ser produtiva e ter maior teor de amido, é preciso que tenha também uma estrutura que facilite a mecanização, para dar um salto de escala e ter condições de competir com as commodities de forma verdadeira”.



Ele explicou que há um setor de engenharia na Embrapa que “pode ajudar a resolver esses gargalos que ainda existem para as colheitadeiras de mandioca, que não são 100% efetiva”. Citou que a demanda da cadeia produtiva para viabilizar a parceria com a Embrapa Instrumentalização, que fica em São Carlos (SP), será encaminhada. Se comprometeu a falar diretamente com o chefe geral da unidade, João Mendonça Naime, “para estabelecer a parceria e conseguir finalmente desenvolver uma equipamento para colheita de mandioca mecânica de alto rendimento”.



Fonte: Jornal O Regional
Mais Notícias:
  • 18/02/2020 - A Estilo Cowboy é uma empresa online especializada...
  • 18/02/2020 - A luta contra a Aedes Aegypti precisa ser constant...
  • 18/02/2020 - Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Paranacity s...
  • 18/02/2020 - Quando as coisas vão ficar bem?
  • 18/02/2020 - Marketing Eleitoral. Necessidade ou luxo?
  • 18/02/2020 - Retiro de espiritualidade pastoral da saúde
  • 18/02/2020 - Início do ano letivo de 2020 da rede municipal de...
  • 11/02/2020 - Evento solidário em Santo Inácio atrai mais de 1....
  • 11/02/2020 - Vou ser Candidato. Posso fazer propaganda?
  • 11/02/2020 - Noção Incompleta: Como o mundo aprendeu a separar ...
  • 11/02/2020 - Exposição no Palácio Iguaçu mostra redações sobre...
  • 11/02/2020 - Entidades pedem apoio a Embrapa para desenvolvime...
  • 11/02/2020 - 237 veículos reforçam a proteção social em 167 mun...
  • 04/02/2020 - Jardim Olinda recebe a “Deputada da Ponte” Aline...
  • 04/02/2020 - Câmara devolve mais de R$ 260 mil ao executivo c...
  • 04/02/2020 - Os Meninos de Belém
  • 04/02/2020 - Por que nessa Eleição preciso me preparar antes?
  • 04/02/2020 - Agora são proprietários!
  • 04/02/2020 - Departamento de Educação e Cultura de Mandaguaçu p...
  • 28/01/2020 - O que o Candidato precisa fazer agora para ter cha...
  • 28/01/2020 - Parceria da Volkswagen com Governo garante unidade...
  • 28/01/2020 - Colorado sedia a 9ª Copa Sul-Americana de futebol ...
  • 28/01/2020 - Saúde em Mandaguaçu ganha novo formato em 2020
  • 21/01/2020 - Máquina de Pintura Viária garante economia de temp...
  • 21/01/2020 - Itaguajé assume Patrimônio Histórico, Arqueológic...
  • 21/01/2020 - Roberto Alvim, Conservadorismo e Arte
  • 21/01/2020 - Presidente da Câmara assume interinamente cargo d...
  • 21/01/2020 - A Posse dos novos membros do Conselho Tutelar
  • 21/01/2020 - Rotary Club de Itaguajé faz doação à APAE
  • 21/01/2020 - Novos integrantes do Conselho Tutelar de Ourizona...
  • Endereço Rua Lord Lovat, 500 - Centro Nova Esperança-PR | CEP: 87600-000 Fone: (44) 3252-1177
    Desenvolvimento Hnet Sistemas