44 3252-1177

contato@oregionaljornal.com.br

O Novo Parque das Grevíleas e o valor da Beleza Cotidiana :

As Crônicas de Nárnia e O Senhor dos Anéis são contos de fantasia e romance muito conhecidos entre as crianças e alguns adultos. São histórias que narram o valor da amizade, do amor, da verdade e também da beleza contra os sofrimentos e os desafios da vida. São contos marcados pela relação que os autores fizeram entre a beleza natural e a vida moral. Os bosques, as cachoeiras, os rios, as pastagens, as paisagens, os pássaros, a variedade de animais, as flores e plantas, e as grandes e pequenas construções arquitetônicas - harmonizadas com a vida biológica - sugerem ser o lado bom, a terra habitável, onde a verdade e a bondade são capazes de florescer e se manter. Por outro lado, os lugares escuros, inóspitos, sombrios e abandonados dos contos são moradas do vazio das trevas, de seres malignos, cruéis e ambiciosos, onde o lado mal, a terra do caos inabitável - a mentira, a morte e a vaidade - conseguem florescer e se manter.



O que poucos sabem é que essas contos de fantasia possuem essas características - a valorização da natureza e a relação do meio ambiente com a vida moral - devido ao contexto em que os próprios autores viveram e como foram influenciados pela beleza natural de onde moravam em suas próprias vidas. A qualidade estética do lugar onde vivemos impacta diretamente na representação de mundo que fazemos e das referências que teremos entre o bom e ruim, do belo e do feio.



C. S. Lewis (1898-1963) - o autor de As Crônicas de Nárnia - era um irlandês, professor universitário, escritor, romancista, poeta e crítico literário que desenvolveu por muito tempo, desde sua infância, suas ideias e reflexões entre bosques e florestas inglesas, em parques com arquitetura simples. Podemos dizer que sem aqueles ambientes poderosamente belos, preservados e bem cuidados, Lewis não teria tido referências tão boas que inspiraram seu senso poético nos escritos. Daqueles bosques e parques verdes e ordenados C. S. Lewis retirava suas inspirações para lugares que ele imagina ser adequados para a Verdade e a Bondade habitarem. Ali, entre bosques, todo o potencial da natureza criada por Deus era extraída para inspirar seus contos de fantasia e florescer sua imaginação. Um biógrafo de Lewis, o escritor Colin Duriez, chegou a registrar que Lewis “[...] aprendeu esse anseio pela beleza ou alegria ao contemplar os morros distantes pelas janelas do quarto de criança” indo além, o biógrafo diz que as sensações de alegria que Lewis tinha, eram “reações a beleza natural” que contemplava.



Do outro lado está J. R. R. Tolkien (1892-1973) - professor universitário e filólogo britânico - autor da trilogia de O Senhor do Anéis. A inspiração imaginativa de Tolkien vem muito - talvez até mais do que Lewis - de sua experiência com a beleza da vida cotidiana. Conforme defende Duriez, “Como os hobbits, [Tolkien] apreciava jardins, árvores e terras cultivadas...” Falando em jardins, no capítulo 4 de seu livro Beleza (2015) Roger Scruton - filósofo especialista em estética e arquitetura - escreve sobre a relação entre jardins, parques, beleza e satisfação humana. Segundo Scruton, os jardins e parques, além de servirem ao nosso uso básico e biológico como seres humanos também representam nossos anseios mais profundos por ordenamento, equilíbrio e arranjo visual. Por exemplo: assim como nossas orelhas denunciam que fomos feitos para ouvir, nossos amores por parques e jardins domesticados denunciam nossos desejos por composição e distribuição adequada. Por sermos feitos à imagem e semelhança do Ser que fez tudo com ordem e harmonia, estamos sempre buscando ordenar o mundo externo e satisfazer esse desejo. Portanto, a ausência dessas formas adequadas - assim como a ausência do som para os ouvidos - afetam diretamente nossa experiência de satisfação desse mundo externo. Pense um pouco, você se incomoda muito com lugares bagunçados e hostis?



Por fim, essas experiências com a beleza cotidiana dos jardins e parques, escreve Scruton, “[...] se mistura com nossa experiência básica das formas e decorações arquitetônicas, destinadas a conquistar e encerrar o espaço, a tomá-lo da natureza e apresentá-lo como coisa nossa.” Ou seja, a satisfação do desejo pela beleza em pequenos jardins ou parques tem caráter familiar e pessoal; e falando em coisa nossa e familiar, o Parque das Grevíleas é uma das belezas arquitetônicas e ambientais de Nova Esperança. O Parque reflete a busca humana pelo encerramento e a domesticação de um espaço adequado para suprir os anseios pela beleza da população - ainda que não sejam conscientes disso. O Parque faz parte da experiência cotidiana de beleza de muitos novaesperancenses e na gestão atual do ambientalista e chefe executivo Moacir Olivatti, está recebendo uma belíssima trilha de caminhadas dentro de um projeto futuro de “Jardim Botânico”. Segundo a assessoria da Prefeitura Municipal, “serão 1.500 metros de trilha para caminhada, uma outra trilha para ciclismo, um anfiteatro para palestras e apresentações e o Museu Histórico de Nova Esperança.” O parque também será dividido entre alas de “palmeiras, flores exóticas, suculentas, orquidário e outras.”



Baseado no que tenho dito até agora sobre: 1) o valor da beleza cotidiana, 2) a estrutura experiencial estética do ser humano com jardins e bosques, e, 3) o resultado disso na representação de mundo moral que fazemos, entendo que as novas transformações, a preservação e o cuidado pelo Parque das Grevíleas é mais que necessário para a população - embora muitos cidadãos não entendam ainda o impacto e o valor da beleza natural. Talvez seja por essa indiferença que a “beleza está sumido de nosso mundo”, porque “vivemos como se ela não importasse” e “sem a busca consciente da beleza, corremos o risco de resvalar num mundo de prazeres viciantes…”



O novo ordenamento e estrutura do Parque contribuirá, e muito, para que famílias, crianças, jovens e adultos possam desfrutar do prazer estético; particularmente, eu desejo que os jovens possam ser incentivados a crescer em meio a essa beleza ambiental e florescer a imaginação em um local que inspire poemas, contos, livros e educação estética. Que a beleza da criação seja capaz de nos ensinar sobre a Beleza Superior - da qual a beleza cotidiana aponta - e nos instigar a “[...] deixar para trás esse apego sensitivo e iniciar a ascensão da alma ao mundo da ideias, no qual ela tomará parte a versão divina.”



Fonte: Jornal o Regional
Mais Notícias:
  • 07/07/2020 - Floraí e Nova Bilac recebem Trator e Equipamentos ...
  • 07/07/2020 - Projeto de lei visa isenção de imposto para bici...
  • 07/07/2020 - Governo Bolsonaro entrega ponte de 100 metros, a o...
  • 07/07/2020 - OAB-Paranavaí doa mais de 1.270 litros de leite pa...
  • 07/07/2020 - Praça com Pista de Skate Antonio Girotto Matiussi ...
  • 07/07/2020 - Ainda neste mesmo dia, foi anunciado no gabinete d...
  • 07/07/2020 - RELATIVISMO A educação moral em perigo
  • 07/07/2020 - COREMAN recebe emenda parlamentar do deputado Aril...
  • 07/07/2020 - Itaguajé revitaliza quadra de areia da Praça da ...
  • 07/07/2020 - Live de Samuel Pratinha arrecadou quase R$ 75 mil,...
  • 07/07/2020 - Loja Maçônica doa aventais e máscaras à Santa Casa
  • 30/06/2020 - Prefeito de Atalaia, Fábio Vilhena entrega novo h...
  • 30/06/2020 - Hospital mantido por Itaipu comemora a oitava alta...
  • 30/06/2020 - ESTILO COWBOY
  • 30/06/2020 - A compaixão cristã
  • 30/06/2020 - Como posso começar minha campanha?
  • 30/06/2020 - Dash Board é a nova ferramenta de enfrentamento a...
  • 30/06/2020 - Primeira Fazenda Urbana do Brasil é inaugurada em ...
  • 30/06/2020 - Com investimentos de quase R$ 2,6 milhões Nossa S...
  • 30/06/2020 - UFPR doa 305 litros de álcool glicerinado para a S...
  • 30/06/2020 - Parte da renda dos peixes comercializados será rev...
  • 23/06/2020 - ACIM doa 5 mil máscaras N95 para os municípios da ...
  • 23/06/2020 - Companhia da PM em Mandaguaçu recebe fuzil para r...
  • 23/06/2020 - O Coração de Nova Esperança é Sagrado
  • 23/06/2020 - Acidente automobilístico leva a óbito o médico
  • 23/06/2020 - Refúgio Biológico de Itaipu volta a receber turist...
  • 23/06/2020 - Uma agenda cristã para os nossos problemas sociais
  • 23/06/2020 - A Ação que Conquista Eleitores
  • 23/06/2020 - Condutas vedadas aos Agentes Públicos
  • 23/06/2020 - Nossa Senhora das Graças valorizando “Pratas da Ca...
  • Endereço Rua Lord Lovat, 500 - Centro Nova Esperança-PR | CEP: 87600-000 Fone: (44) 3252-1177
    Desenvolvimento Hnet Sistemas